Trecho da avenida Brigadeiro sem asfalto, calçadas e sinalização gera reclamações em Vilhena

​Algumas pessoas reclamam que quando chove o trecho fica intransitável, pois como está localizado ao lado galeria pluvial fica totalmente alagado.

Um trecho da avenida Brigadeiro Eduardo Gomes em Vilhena sem asfalto, calçadas e sinalização e com buracos tem gerado reclamação das pessoas que transitam pelo local.

O trecho da avenida fica próximo ao parque de exposição e liga o bairro Solar com outros bairros do município.

Algumas pessoas reclamam que quando chove o trecho fica intransitável, pois como está localizado ao lado galeria pluvial fica totalmente alagado.

Segundo a Secretaria Municipal de Terras, a via é de propriedade da Prefeitura de Vilhena e foi construída como uma extensão da avenida Brigadeiro Eduardo Gomes, tendo assim, o mesmo nome. 

De acordo com a Secretaria Municipal de Planejamento, há previsão de elaboração de projeto para revitalização desse trecho da avenida Brigadeiro. O projeto deve ser elaborado neste ano e se, tudo correr bem, as obras podem começar no ano que vem. O setor de Engenharia da Semplan está averiguando a localidade, inclusive com análise da situação do canal existente.

O secretário adjunto de Planejamento, Eduardo Fernando, disse que a rua não é tão larga como parece e que, como não tem calçada, ainda, a área de tráfego foi sendo estendida pelo fluxo de veículos.

"Quando a rua for asfaltada a caixa da rua ficará menor. Mesmo assim, esse projeto será adequado para as necessidades de tráfego do local. Ali temos espaço para prever pista de rolamento e passeio de maneira satisfatória", explica Eduardo Fernando.

As análises e visitas ao local já começaram há vários meses e o projeto deve ser apresentado ao programa Calha Norte através de recursos de convênio.

Já segundo a Secretaria Municipal de Obras, os problemas de alagamento excessivo na rua se devem à baixa capacidade de escoamento que as tubulações de drenagem da região têm.

"Alguma administração passada, não sabemos qual, fez uma tampa de concreto extremamente espessa que bloqueia a passagem da água pelo local que consideramos o correto para que a água desça por uma linha de drenagem já existente. Há alguns meses realizamos a limpeza da galeria, mas, infelizmente, é necessário rever o sistema de drenagem da rua toda quando o asfalto vier a ser executado em breve", explica Marcelo Boca, secretário municipal de Obras. 

Veja mais notícias sobre Geral.

Veja também: