Maior safra de soja do mundo é lançada em Vilhena com autoridades municipais, estaduais e nacionais

 O evento contou com a participação de autoridades  municipais, estaduais e nacionais, bem como empresários e pesquisadores. 

A bordo de uma gigantesca plantadeira e divulgando o potencial agrícola de Vilhena em rede nacional, o prefeito Eduardo Japonês participou hoje da abertura nacional do plantio de soja da safra 2019/2020 na Fazenda Jaqueline, em Vilhena. Realizado com a presença de autoridades municipais, estaduais e nacionais, bem como empresários e pesquisadores, o evento foi transmitido ao vivo para todo o Brasil pelo Canal Rural.

"Estamos orgulhosos em abrir essa que será, certamente, a maior safra de soja do mundo, visto que todas as perspectivas indicam que o Brasil irá se consolidar como maior produtor do grão no planeta nesta colheita. Vilhena abriga grandes e pequenos produtores do agronegócio e representa bem a alta produtividade com sustentabilidade, já que a maior parte de nosso território é preservado", garantiu Japonês.

Vilhena é a cidade que mais exporta em Rondônia, quase R$ 1 bilhão por ano, e isso se deve ao agronegócio. Os 42 mil hectares de soja que serão plantados neste ano devem produzir 151 mil toneladas do grão. Com produtividade de 3,6 toneladas por hectare, a cidade colhe mais que a média estadual, nacional e mundial, sendo a maior produtora de Rondônia com mais de 110 agricultores em atividade.

Estiveram também no evento o governador Marcos Rocha, os deputados federais Jaqueline Cassol e Lúcio Mosquini, os deputados estaduais Luizinho Goebel e Laerte Gomes, bem como o presidente nacional da Aprosoja Bartolomeu Braz, além dos vereadores Ronildo Macedo, Wilson Tabalipa, Adilson de Oliveira e França Silva. Estiveram também presentes vários secretários municipais e estaduais, além de prefeitos do Cone Sul, grandes produtores, pesquisadores, imprensa nacional e internacional.

Realizado em propriedade do grupo Masutti, que planta mais de 100 mil hectares de soja, o evento revelou também previsões climáticas para o setor: a expectativa é que o fim de setembro seja marcado por chuva, mas outubro e novembro terão precipitação reduzida, com pouco volume de água para a época, o que pode atrasar o plantio do milho.

Durante o evento, na Fazenda Jaqueline, pouco mais de um hectare de soja foi plantado de forma simbólica com máquinas do grupo Masutti. O espaço serviu também de troca de informações entre os participantes, que eram compostos também de empresas com estandes em exposição. Todos puderam aproveitar também, ao fim da cerimônia, um costelão .


Fonte: Assessoria ​

Veja mais notícias sobre EventosGeralEconomiaBrasilMundo.

Veja também: