Manifestações de protesto contra cortes de verbas da Educação mobilizam estudantes e profissionais do setor em Vilhena

Serão duas passeatas nesta quarta-feira, uma de manhã e outra no final da tarde  

Foto: Mario Quevedo

 Estudantes, professores e servidores da Educação estatal em Vilhena, tanto a vinculada com o Estado quanto a União, estão participando do da mobilização nacional de protesto contra o governo federal após o anúncio de cortes nas verbas de investimento ao setor anunciadas dias atrás pelo presidente Jair Bolsonaro. Os protestos em Vilhena estão sendo puxados pelo SINTERO, que representa trabalhadores em Educação do Estado, além de integrantes dos corpos discente e docente da UNIR e IFRO. Uma passeata percorreu parte da Avenida Major Amarante neste início da manhã e a segunda mobilização acontece a partir das 16 horas.

O protesto agrega estudantes e trabalhadores, que se sentem prejudicados com os cortes de recursos que o governo federal pretende fazer particularmente nas instituições de curso Superior. De acordo com projeções, com o orçamento atual disponível a tendência é que o custeio destas universidades e institutos fique inviabilizada a partir de outubro próximo, sem expectativa de conclusão do segundo semestre de aulas.

Apesar da decisão governamental atingir diretamente a Educação na esfera federal, trabalhadores e estudantes da rede estadual, preocupados com a repercussão e consequências que poderão advir da ação do presidente, se solidarizaram com os demais. O primeiro protesto em Vilhena, cuja passeata partiu da sede local do Sintero percorreu o trecho da Major Amarante correspondente ao final da avenida (sentido Cuiabá) até a Praça Nossa Senhora Aparecida, começou por volta das 8h30m, com posterior concentração no local. A tarde a movimentação está prevista para iniciar às 16 horas, na mesma praça.

Veja mais notícias sobre Educação.

Veja também: