VOCÊ PRECISA CORTAR O CORDÃO UMBILICAL?

Quando nascemos até o dia que decidimos sair de casa para vivermos e construirmos a nossa própria vida, é onde temos o primeiro contato com família e construímos e alimentamos nossas primeiras relações e também onde iniciamos nosso desenvolvimento pessoal.

Esses vínculos costumam se desenvolver de forma bem sólida, por vezes nos tornando cuidadores e defensores de nossa família, isso pode ser bom ou ruim, dentro dos limites sociais. Ultrapassando esses limites se torna uma dependência social e onde pode influenciar as futuras relações.

Existe muitos exemplos de famílias que se responsabilizam por resoluções de problemas e conflitos que não deveriam ser de sua preocupação. Veja alguns:

1.Filho que assumiu a posição de 'chefe da casa' após separação conturbada dos pais. Além de cuidar de si e de suas questões 'adolescentes', o filho sente-se na obrigação de cuidar da mãe e educar o irmão mais novo;

2.Filho de pais que vivem em meio a separações e ameaças de divórcio. O filho vira mecanismo de reconciliação/separação do casal, sendo peça fundamental para que um ciclo briga-separa-volta se mantenha a todo vapor;

3.Filha mais velha e adulta sente-se responsável por dar suporte a sua mãe (que criou a filha parte da infância sozinha), seja financeira ou emocionalmente. Tornando-se refém dos problemas da mãe, que são normalmente resolvidos pela filha ou não resolvidos para se manter esse tipo de relação;

4.Irmã que sente-se responsável por cuidar dos irmãos e já na fase adulta continua a resolver os conflitos e arcar com despesas financeiras dos irmãos;

5.Mãe que, apesar dos filhos já serem adultos e estarem casados, sente-se responsável por conduzir a vida dos filhos e assumir despesas e responsabilidades deles;

Fonte: Blog O Segredo

Ao ler os exemplos acima alguém possa ter se identificado, mas não me refiro somente a essas situações, me refiro ao padrões de comportamento que podem afetar as relações e transferir responsabilidades individuais a outros podendo ser associada a um cordão umbilical.

Um conselho corte esse cordão umbilical não seja e não torne ninguém dependente de você, devemos criar os filhos para o mundo, torná-los autônomos, libertos, até de nossas ordens. A partir de certa idade, só valem conselhos. Só com uma postura como essa, conseguimos tornar adultos aquela criança que a mãe carrega em sua barriga.

Corte esse cordão umbilical imaginário se ainda existe, e viva uma vida sem depender ou sem que alguém dependa de você. 

Veja mais notícias sobre Colunas.

Veja também: