Teremos eleições diferentes em Vilhena? Ou tudo não passa de especulação?

Durante está semana recebi alguns questionamentos em relação aos nomes dos pré-candidatos a prefeito em Vilhena. Semana passada, em minha coluna, havia dito que poderíamos pela primeira vez termos três nomes disputando o executivo em igualdade, mas fui questionado quanto aos nomes de Douglas Canoffre (PROS), Miguel Câmara (PSB) e Jaime Bagatolli (Aliança pelo Brasil).

Pois bem, se de fato se consumar estes nomes, situação está que não acredito, teremos então pela primeira vez sete candidatos a disputa do palácio municipal. Neste cenário o candidato da família Donadon já pode comprar o champanhe e a caixa de fogos (sem barulho) e comemorar a vitória. Afirmo isto baseado nos votos recebido pela família que sempre variam de 10 a 15 mil, isto num cenário possível de 45 mil votos válidos garante confortavelmente a eleição da família.

Mas como disse não acredito neste cenário de sete candidatos. Primeiramente Jaime Bagatolli trabalha no apoio da criação do novo partido "Aliança pelo Brasil" e por se tratar de um novo partido, os especialistas políticos garantem que dificilmente o partido esteja apto para participar das eleições municipais deste ano.

Já Miguel Câmara que anunciou sua pré-candidatura pelo (PSB) dificilmente sustenta está posição até o final do pleito, primeiramente teve dificuldade para se eleger vereador na última eleição tendo uma votação muito abaixo da esperada com isso perdeu força partidária e de voto, além de estar algum tempo fora do cenário político.

Para o estreante na aspiração política Douglas Canoffre (PROS) a vida também não será fácil. Primeiramente a construção de uma nominata de vereadores não tem sido uma missão tranquila, já que muitos pré-candidatos a vereador querem saber qual o valor do fundo e recursos que o partido terá para a campanha, recurso este que o partido não demonstra ter. Um ponto positivo é o fator juventude e os conhecimentos em marketing e publicidade que o candidato possui.

Enfim todo o processo eleitoral pode ser totalmente diferente com sete candidatos ou simplesmente não passar de sonhos de alguns nomes em se tornar prefeito de Vilhena. Ou no final de tudo isso acontecer à polarização das eleições em um "frentão" contra a família Donadon. Aguardemos as cenas dos próximos capítulos.

Veja mais notícias sobre ColunasGeral.

Veja também:

giweather joomla module