Solidariedade, faz bem para quem?

Foto: Arquivo Pessoal

Quando pensamos em solidariedade imaginamos uma via de mão única, como uma boa atitude com o próximo, e muitas vezes nos esquecemos que fazemos pelo outro fazemos para nos mesmo, quando ajudamos, nos sentimos preenchidos.

Há quem doe dinheiro por falta de tempo. Há quem doe tempo por falta de dinheiro. Há quem doe abraços e sorrisos. Independentemente do que doamos, o que importa é que nos traz alegria.

E com essa alegria tive a oportunidade de falar para empresários do ramo de varejo e combustível do brasil todo em um evento realizado pelo ClubPetro na cidade de São Paulo, sobre uma campanha solidaria feita pelo Posto Catarinense, onde atualmente trabalho.

Dando uma breve resumida na campanha "Aditivando Solidariedade" onde todos os meses uma porcentagem do lucro da gasolina aditivada é revertido para uma instituição social de nossa cidade.

Mas o que me chamou mais atenção foi a ideia que surgiu em nosso posto sendo compartilhada e admirada por pessoas de outros lugares, onde nos procuravam para poder levar essa ideia para suas cidades.

Qual a reflexão tudo isso me trouxe, todas as pessoas se sentem bem em fazer o bem para a sociedade independente do que for fazer, mas o principal desafio é começar e continuar, muitas pessoas simplesmente ajudam outras pelo momento que estão passando em suas vidas, como se fosse uma forma de se confortar com algo.

Ter consistência em uma atitude solidaria requer muita disciplina e força de vontade independente de ser uma pessoa ou uma empresa.

Portanto compartilhar, doar, ajudar independentemente de sua atitude, amar o próximo é amar a nos mesmo. Faça um teste pratique solidariedade, doa mais sorrisos e veja a vida sorrindo de volta para você.

Seja solidário, mas tenha consistência em suas atitudes também! 

Veja mais notícias sobre Colunas.

Veja também: