SETEMBRO AMARELO CHEGOU! ISSO É BOM OU RUIM?

Foto: Internet

Pense que a cada quatro segundos uma pessoa tenta o suicídio no mundo, e a cada 40 segundos alguém consegue são 800 mil suicídios no mundo. A cada 45 minutos um brasileiro tira a própria vida, são mais de 11 mil casos anualmente. Esses números já deveriam ser suficiente para se falar mais sobre a prevenção.

Quando se fala sobre a prevenção de drogas, há um certo preconceito, porque falar de drogas estimulava o consumo. Essa afirmação é tão ingênua, e tantas pessoas acabaram usando drogas porque não tiveram orientação adequada, é a mesma coisa em relação ao suicídio, não se fala sobre o suicídio, é proibido, porque isso pode estimular as pessoas a tirarem sua vida.

Muitas dúvidas surgem quando nos vemos na necessidade de ajudar uma pessoa que está pensando em suicídio. Qual a melhor forma de ajudar?

Todos os anos aparece um monte de campanhas e matérias no mês de setembro falando sobre prevenção, já li vários anúncios a respeito de suicídio e vejo muitas pessoas que tentaram apoiar de forma errada essa ação. Comemorando o setembro amarelo, é importante deixar claro algumas informações:

O suicídio não é porque a pessoa é fraca ou quer chamar atenção. A pessoa sofre de uma dor constante e tem dias que a dor é tanta que ela só quer encontrar uma forma de parar. Remédios não ajudam.

Existem pessoas que sofrem e não compartilham seus sentimentos por vergonha e na solidão acabam tomando decisões para acabar com a dor, também existem pessoa quem sofre e ainda acredita que está dando muito trabalho aos que estão tentando ajuda-la e que seria melhor para eles que ela não estivesse mais lá. Ela se preocupa tanto com os demais que não consegue perceber que ir embora só trará a eles uma sensação de fracasso, de não ter conseguido ajudar.

Algumas pessoas pensam que "quem quer faz" e não é assim. A pessoa que fala sobre suicídio já está procurando formas de se matar, a sorte é que como sua cabeça é confusa ela não tem agilidade suficiente para colocar o plano em prática na mesma proporção que fala. Por isso existe a demora entre os sinais e o suicídio definitivo.

Na data do suicídio a pessoa terá orgulho de si mesma, portanto estará muito mais feliz. Em sua mente ela acredita que estará liberta de suas dores e estará dando paz as pessoas que ama. Ela acredita que será bom para todos. Um alerta para pessoas que convivem com pessoas que possam cometer o suicídio é que provavelmente será o dia que tiver menor sinal de sofrimento que poderá ocorrer o suicídio.

Como ajudar uma pessoa com distúrbio que fala sobre suicídio? Procure entender os seus reais motivos e entende-los, não com uma lógica fácil para você, e sim de uma forma em que a pessoa entenda que causara mais sofrimento indo embora e que o caminho mais fácil é enfrentar a dificuldade. Procure apoiar como se encorajasse uma criança que levou o primeiro tombo enquanto aprende a andar. Dói muito, mas é necessário e saber que você estará lá para segurar sua mão somente quando puder ajudar é fundamental para a recuperação dela.

Aqui deixo uma indicação de um canal de ajuda:

O CVV – Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, e-mail e chat 24 horas todos os dias.

LIGUE 188

Horário: 24 horas, 7 dias por semana

Website: www.cvv.org.br 

Veja mais notícias sobre Colunas.

Veja também: