Unir não adere ao Ensino à Distância e diretor do Campus de Vilhena explica

São 730 alunos que estão sem aulas desde a suspensão.  

Universidade Federal de Rondônia (UNIR), Campus de Vilhena Foto: Joel Jonas
Elder Gomes

Universidade Federal de Rondônia (UNIR) não aderiu ao Ensino à Distância (EAD) e na manhã desta terça-feira (26), o diretor do Campus de Vilhena falou em entrevista o motivo pelo qual não foi feito.

As aulas estão suspensas desde o começo de março devido a pandemia do novo Coronavírus. Desde então as atividades estão ocorrendo, exceto as atividades acadêmicas. O Ministério da Educação (MEC) já havia autorizado a substituição das aulas presenciais por aulas no formato de ensino à distância.

O diretor explica que "Neste período de pandemia nós estamos nos reunindo, inclusive ontem eu participei de uma reunião, porém, são todas reuniões online que nós temos diretores de Campi de núcleo de Vilhena, Rolim de Moura, Presidente Médici, Cacoal, Ji-Paraná, Ariquemes, Porto Velho e Guajará-Mirim afim de debater o que fazer nesse período de pandemia. Inclusive na reunião do conselho superior da universidade nós estamos debatendo essa questão do Ensino à Distância" Ressalta Elder Gomes.

Atualmente a unir campus de Vilhena possui 730 alunos matriculados e cursando algum dos cursos oferecidos pela Instituição Federal.

Elder também ressalta que "A Universidade Federal de Rondônia ainda não adotou esse sistema porque, primeiramente, a legislação do EAD é própria e única a qual a universidade está verificando se, como nossos cursos são todos presenciais, nós respeitamos uma legislação própria dos cursos presenciais. A universidade está verificando a legalidade, porque, corre o risco, se a instituição fizer qualquer erro neste sentido, o diploma do nosso aluno ser invalidado".

Ele ainda explica que por uma questão de acessibilidade "Acesso à internet, nós temos alunos indígenas que no momento estão em suas aldeias por questão de segurança, temos alunos surdos, cegos, enfim. Além disso temos alunos apenados".

A instituição tem estudado a implantação do sistema, mas só será posto em prática quando tiver certeza da legalidade do diploma e que todos os alunos tenham as mesmas condições de acesso.

Em relação ao ano letivo "Vale ressaltar que o calendário acadêmico está apenas suspenso, nós iremos retornar. E quando nós retornamos, será criado um novo calendário, afim de que, a Anir possa cumprir com todas as suas aulas. Quer dizer que o aluno não perdeu o ano, como muitos estão dizendo, apenas nós ajustaremos".

As aulas foram suspensas pelo MEC até o dia 30 de junho. A decisão por enquanto está em fase de análise e nada concreto em relação ao sistema EAD. 

Veja mais notícias sobre GeralEducaçãoCidades.

Veja também:

giweather joomla module