PCC falsificava documentos para visitas em presídios e cadastros no Uber, diz investigação

Na operação desta quarta, a Justiça mandou prender 13 pessoas ligadas à facção criminosa. 

Foto: Reprodução

A Justiça de São Paulo autorizou nesta quarta-feira (18) a deflagração de operação contra três núcleos do PCC. Um deles, segundo o Ministério Público, atuava para falsificar documentos.

Os objetivos principais eram dois, segundo decisão judicial. O primeiro: falsificar documentos de advogados que faziam visitas em presídios, para confundir as autoridades.

O segundo: fazer cadastros na Uber com nomes fictícios "a fim de atuarem ilicitamente nesse mercado e, especialmente, transportarem membros da organização criminosa, armas, drogas e outros produtos ilícitos, com menor vigilância das autoridades de trânsito e segurança pública; transitar os indivíduos foragidos livremente pelo território nacional", de acordo com o Ministério Público.

Na operação desta quarta, a Justiça mandou prender 13 pessoas ligadas à facção criminosa.

Fonte: Folha de São Paulo 

Veja mais notícias sobre BrasilPolítica.

Veja também:

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.ronoticias.com.br/