ME TORNEI PAI/MÃE, E AGORA?

Como agir de uma forma positiva para que as mudanças que virão não influenciem negativamente a vida da futura família que inicia?  

Foto: Arquivo Pessoal

Como agir de uma forma positiva para que as mudanças que virão não influenciem negativamente a vida da futura família que inicia?

Calma isso não é o fim do mundo.

De forma geral todos que já passaram pela experiência, de que a chegada do primeiro filho mobiliza muito mais do que a dos próximos que virão. É uma mudança radical na vida do casal. Eles dão um salto para uma nova etapa do seu desenvolvimento e avançam uma geração.

A vida de pai e mãe de primeira viagem é desafiadora pois essa troca de papeis de serem filhos e passar a serem pais traz muitas responsabilidades.

No entanto, não é somente a vida do casal que passa por transformações. Toda a família do casal também acompanha este processo. Há uma grande movimentação no campo emocional e todos mudam de status. Cada qual tem um novo papel a exercer. Quem não era, agora passa a ser avô, avó, tio, tia etc.

No meio dessas mudanças surge a necessidade do casal em se adaptar à nova fase. Geralmente as pessoas falam sobre chá de bebê, quarto, berço e tantas outras coisas práticas. Raramente ouvimos sobre as tarefas familiares que o casal tem a cumprir para se adaptar a esta etapa com sucesso e que são fundamentais para estruturar as bases do relacionamento da nova família, permitindo um desenvolvimento saudável e que a criança sinta se bem acolhia no seu novo lar.

Com chegada do primeiro filho, o casal precisará abrir espaço tanto físico, na casa onde mora, quanto emocional, no seu relacionamento, que antes era a dois. Isto significa que homem e mulher deverão cuidar do equilíbrio emocional, dentro do possível, dos seus papéis como pai e mãe, marido e mulher, companheiros, amigos, parentes etc. Mas ainda deverão cuidar muito bem das fronteiras da nova família: como são principiantes, todos se sentem no direito de invadir e dar pitacos e conselhos. Os primeiros dias do nascimento do bebê, é delicado. No período em que deveriam ter mais sossego é que recebem o maior número de visitas, com mil conselhos e opiniões de como devem fazer as coisas com o bebê.

No entanto é fundamental que o casal se organize e tenha muita calma, sabedoria e se adapte às novas circunstâncias desta etapa, para atingir o equilíbrio necessário ao desenvolvimento saudável da nova família, sabendo que filhos sempre serão uma graça divina e apesar das dificuldades e desafios que virão a alegria que eles trazem se sobrepõem a qualquer dificuldade. Ser pai e mãe é um dom. 

Veja mais notícias sobre BrasilColunas.

Veja também: