Jovem de 18 anos que cursava medicina no Paraguai é assassinada. Mais três pessoas foram mortas

Duas das pessoas que foram assassinadas cursavam medicina

Foto: reprodução/Chacina no Paraguai

A moradora de Cáceres, em Mato Grosso, Rhannye Jamilly, de 18 anos, foi assassinada com dez tiros de fuzil na madrugada deste sábado (09/10), durante uma chacina que matou mais três pessoas em frente a uma casa de eventos em Pedro Juan Caballero, no Paraguai.

Também foram assassinados Vicente Álvarez Grance, de 32 anos, conhecido como Bebeto, a filha do governador do Departamento de Amambay, Haylee Carolina Acevedo Yunis, de 18 anos, e outra brasileira Kaline Reinoso, de 21 anos, de Dourados (MS). Rhannye e Kaline faziam faculdade de medicina no Paraguai.

Segundo a Polícia Nacional, foram realizados mais de 100 disparos de fuzil. Bebeto, que era um dos principais alvos, foi executado com 31 disparos que o atingiram principalmente no rosto. O veículo em que eles estavam foi alvejado de todos os lados e Rhannye foi atingida por pelo menos dez tiros.

A suspeita é de que a execução tenha sido feita pelo grupo justiceiros da fronteira, que já fizeram várias vítimas, em alguns casos o grupo chegou a deixar um bilhete com a frase "não roubar na fronteira".


Veja também

Veja mais notícias sobre Brasil.

Veja também:

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://www.ronoticias.com.br/